Aconteceu o DevOps Day em São Paulo/SP (06/07 e 07/07) e o evento foi muito glorioso na troca de conhecimento e aprendizado de como as empresas (pequenas e grandes) estão lidando com os desafios em DevOps, focando em construir o produto certo, com o tempo de resposta que o mercado precisa, gerando o ROI esperado.

06/06

[13h30] Automação de ACL através de Redes Definidas por Software

  • Redes definidas por software – SDN
  • Plano de dados e controle; Topologia Fat Tree; PoD (point of delivery); spine leaf
  • ACL (Access control list) e NaaS (Network as a service)

[14h] Die Hard – A tale of an always on app – K8s VS Chaos

  • Chaos Engineering – experimentação em sistemas distribuídos para capacitar ambiente de produção
    • Definir o estado estável da aplicação
    • Hipótese de permanência
    • Inserir variáveis para simular processos
    • Coletar dados, ajustar e começar de novo

[14h30] 7 Passos para DataOps

  • Cultura, segurança e governança
  • Áreas: Infra, Engenharia de dados, Cientista de dados e Analista de dados
  • Como: catálogo de dados, linhagem (cruzar informações) e semântica significativa
  • Quando: quando surgirem as perguntas; NOSQL serve para estrutura quando se tem as respostas apropriadas

formula-evolucao

[15h30] Mapeando 1 milhão de recursos em uma Cloud

  • IaaS – PaaS – EaaS


[15h45] DevOps não é sobre velocidade, é sobre qualidade!
Nível de maturidade: 1) Git Flow – code review; Testes – TDD; Deploy automatizado 2) Qualidade de código – SonarQube, Codacy, etc.; Monitoramento (New Relic); Logs (Graylog Splunk) 3) Entrega continua; Docker; Microserviços etc.


[16h] Entrega Contínua e aplicações em Produção: por que não é só a implantação?
Jez Humble

  • Integração Contínua: trunk based development; ferramentas
  • Qualidade Contínua: práticas (TDD, etc.); ferramentas de teste
  • Configuration Management: versionamento, infra as code e features toggles

Susan Fowler: 8 princípios | Production readiness | Case Uber (microserviços com foco no desempenho)

Uptime: Spotify 99,98% (1h45m por ano); Gitlab 99,99% (52m por ano); Facebook / Linkedin / Twitter / NY Times 100%

[17h] Kanban para equipes de infraestrutura com STATIK

  • Gestão de mudança
  • Times multifuncionais – funciona? Operação 24 x 7; backlog iteração; valor; mistura de prioridades
  • Manifesto da Infra | estabilidade e segurança
  • Kanban: comece com o que faz hoje; cadeia de valor do cliente; conheça seu cliente
  • STATIK (Systems Thinking Approach to Implementing)
  • Demanda x Capacidade: 4 Qs

 

07/06

[14h] A “Especificação por Exemplo” trabalhando pro time

  • Ágil precisa: documentação precisa e testável | fácil de manter | escrita JIT
  • Livro Gojko Adzic – Specification by Example (SBE)
  • Especificação – BDD – System (resultado)
  • SBE não é testes; não é automação; imutável
  • SBE é focada no negócio; pode ser automatizada
    • Exemplificar os casos descritos nas estórias
    • Validar frequentemente
    • Fazer conjuntamente com o time
  • Focar em construir o produto certo


[16h] Promovendo Continuous Code Quality com Gamificação

  • Continuous Integration: commit diário – teste automatizado – recuperação em até 10 minutos
  • Code Quality: menos bug e vulnerabilidade
  • Gamificação: dopamina – produtividade prazerosa do jogo; desafios, recompensas, regras construídas de maneira colaborativa, etc.
  • Indicadores do engajamento: code smell, code review, bugs e vulnerabilidades